Equipe Hansen AE Pedreira

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Tipos de Hanseníase



A Hanseníase é classificada de acordo com suas manifestações clínicas e o resultado da baciloscopia. De acordo com este últimos, os pacientes que apresentam baciloscopia negativa em todos os locais de coleta são classificados como Paucibacilar (PB), enquanto aqueles que apresentam baciloscopia positiva em qualquer local de coleta são classificados como Multibacilar (MB).


 
De acordo com os critérios clínicos, foram identificadas quatro formas da doença:
·         Hanseníase Indeterminada
É a forma inicial, evolui espontaneamente para a cura, na maioria dos casos. Geralmente se encontra apenas uma lesão, de cor mais clara que a pele normal, com diminuição da sensibilidade.
·         Hanseníase Tuberculóide
É a forma mais benigna e localizada, acomete pessoas com alta resistência ao bacilo. Encontram-se poucas lesões, às vezes, apenas uma; de limites bem definidos e um pouco elevados e com ausência de sensibilidade. Neste caso, ocorrem alterações nos nervos próximos a lesão, podendo acarretar dores, fraqueza e atrofia muscular.
·         Hanseníase Dimorfa
É a forma intermediária. Há um maior número de lesões, as manchas podem atingir grandes áreas da pele, os nervos são bastante afetados. Esta pode polarizar para Virchoviana ou Tuberculóide.
·         Hanseníase Virchoviana
Neste tipo a imunidade é nula e há uma maior multiplicação do bacilo, isto faz com que o paciente possa chegar a um quadro de maior gravidade, podendo anestesiar os pés e as mãos, sem a sensibilidade poderão ocorrer traumatismos e feridas que poderão acarretar deformidades, atrofia muscular, inchaço nas pernas e surgimento de nódulos. Órgãos internos também podem ser atingidos pelas conseqüências da doença.


 

2 comentários:

  1. A hanseniase virchoviana pode voltar depois de ter feito o tratamento por completo?
    E o quadro reacional tem cura ou o paciente vivera tendo que fazer sempre o uso de remedio para controlar os efeitos reacionais??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não senhor, depois que tratado com o coquetel oferecido somente no posto de saúde a hanseníase não volta (se o tratamento for feito direitinho). Em relação a cura, ela acontece, mas dependendo do tempo e do grau de comprometimento dos nervos não tem como a funcionalidade dos nervos afetados voltarem ao normal. Somente a eliminação dos bacilos será feito no organismo com ajuda dos remédios. O tempo de uso do coquetel depende do tipo da hanseníase, mas em media, seria de 6 meses a 3 anos. Quando mais rápido for diagnosticado a doença, menos prejuízos funcionais terão. Por tanto se houver suspeitas, corre para um posto de saúde e evitar pernas grandes. Abçs...

      Excluir